estamos no Facebook com mais de 18 000 imagens do Glorioso SLB...

estamos no Facebook com mais de 18 000 imagens do Glorioso SLB...
tens imagens com o símbolo do SLB? 'colunadaguiasgloriosas@gmail.com' (clicar imagem)

ser benfiquista acima de tudo e mais alguma coisa...

ser benfiquista acima de tudo e mais alguma coisa...
Usar o nosso SÍMBOLO/EMBLEMA como COSME DAMIÃO! (clicar imagem)

SPORT LISBOA E BENFICA! (clicar imagem)

bandeiras com os nossos símbolos dão sempre num grande BENFICA!

As claques do Benfica deviam ter a imagem do Rei Eusébio(clicar)

As claques do Benfica deviam ter a imagem do Rei Eusébio(clicar)
e se lhe juntassem o SÍMBOLO do GLORIOSO nos seus LOGOS seria MARAVILHOSO...

UM dos 10 clubes MÍTICOS do MUNDO! SL BENFICA!

Já que o Expresso, Record, SICN e CMTV abafaram o ESCÂNDALO....

Já que o Expresso, Record, SICN e CMTV abafaram o ESCÂNDALO....
Cliquem na imagem para se saber alguma coisinha...

até quando o colão ao dragão e leão?

até quando o colão ao dragão e leão?
Ninguém pede a demissão dele? (roubos actualizados, cliquem)

maio de 2022 tem que ser GLORIOSO ASSIM!

que o espírito de eindhoven se mantenha até ao final da época!

que o espírito de eindhoven se mantenha até ao final da época!
Rumo ao 38º TÍTULO Nacional BENFICA! (clicar imagem)

o GLORIOSO SLB ESTÁ ONDE MERECE! VAMOS!

LEVEM MÍSTICA/ENERGIA POSITIVA AOS AÇORES!

LEVEM MÍSTICA/ENERGIA POSITIVA AOS AÇORES!
Levem SÍMBOLOS/EMBLEMAS do BENFICA! Rumo ao 38º!

rumo aos oitavos-de-final e ao 38º!

o afilhado do proença vai ajudar o 5porting!

o afilhado do proença vai ajudar o 5porting!
Cliquem e vejam as NOMEAÇÕES CIRÚRGICAS!

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Sven-Goran Eriksson - O «revolucionário»


Eriksson nasceu na Suécia a 5 de Fevereiro de 1948. Desde cedo se interessou pela prática desportiva, nomeadamente o futebol. Com 28 anos de idade concluiu o curso de Educação Física, formando-se como treinador de futebol. Em 1975/76 estreou-se à frente de um clube sueco da III Divisão. Após ter levado o modesto clube à II Divisão, mudou-se para um outro clube sueco. Foi então treinador do IFK Gutemburgo e na sua primeira época neste novo clube, conquistou a Taça da Suécia. Em 1981/82 conquistou também a Taça UEFA, o Nacional da Suécia e a Taça da Suécia.

Na mesma época, o Benfica atravessava um mau momento e a direcção de Fernando Martins procurou então, dado que Baroti não continuaria na Luz, contratar o sueco, para levantar o Benfica, da crise de resultados que atravessava. À chegada á Luz, começaria por dar um aviso à navegação: “Os jogadores do Benfica terão de trabalhar duramente”.

A verdade é que, na época de 1982/83, o clube da Luz sagrou-se Campeão Nacional, venceu a Taça de Portugal e chegou à final da Taça UEFA. A turma de Eriksson deixaria, no campeonato, o F.C. Porto a quatro pontos e o Sporting a nove, perdendo apenas um jogo em 30 realizados. Eriksson treinou o Benfica ainda em 1983/84, assegurando mais um título, mas de imediato rumou para Itália, onde o “calcio” falou mais alto ao coração do jovem treinador nórdico.

Trabalho e êxito, duas palavras que caracterizam um sueco simpático e correcto...

Na época de 1982/83 a ansiedade dos adeptos, em ver o Benfica recuperar o título de Campeão e o prestígio europeu era enorme. Eriksson mostrou então desde o seu primeiro dia as suas principais características, isto é, tranquilidade, simpatia, educação e mostrou ser um homem de diálogo fácil e sabedor da responsabilidade que tinha em treinar uma equipa como o Benfica. Com

Sven-Goran Eriksson, mais do que resultados alcançados, ganhava especial saliência o futebol praticado. Na Luz, ou não, frente a adversários mais ou menos acessíveis, o Benfica era reconhecido pela sua atitude dentro das quatro linhas. O futebol de Eriksson era pressionante e bloqueava grande parte dos adversários ainda dentro do seu meio-campo e tudo graças à condição física e entrega aos jogos dos jogadores.

O sucesso alcançado na Suécia e em Lisboa, em tão curto espaço de tempo despertou de imediato o interesse de diversos clubes. Eriksson, traído pela ambição, rumou então para Itália onde treinou durante 5 anos, estando durante os três primeiros ao serviço da AS Roma e nos dois últimos em Florença, a treinar a AC Fiorentina.

Dada as dificuldades do clube da Luz em arredar facilmente o título nacional, João Santos possibilitou, então, o regresso do sueco ao Estádio da Luz. Toni, aceitou manter-se na equipa técnica, como seu adjunto. Dois anos após o seu regresso, Eriksson com a sua conhecida competência, voltou a conduzir o Benfica à final da Taça dos Campeões Europeus.

Eriksson teve duas honrosas passagens pela Luz

O nome do Benfica voltava assim ás bocas dos europeus que tiveram a possibilidade de assistir na tarde de 23 de Maio de 1990, na presnça de 65.000 espectadores em Viena a um S.L. Benfica vs A.C. Milan. A equipa da Luz, jogou de igual para igual, mas acabaria por perder a partida para os italianos. Aos poucos o sueco ia reformulando a equipa, substituindo alguns dos habituais titulares. Colocou William no lugar de Aldair, Paulo Sousa a alternar com Valdo e no ataque utilizou duas novas aquisições: Rui águas e Isaías. O Benfica conquistaria então, o 29º título em 56 campeonatos disputados.

Seguiu-se a 3ª época de Eriksson nesta segunda passagem do sueco pela Luz e já em 1991/92, o técnico faria alterações significativas na equipa-tipo: Neno a guarda-redes; Paulo Madeira a defesa-central ao lado de William que dividiu a titularidade com Rui Bento; no meio-campo Schwarz ou Kulkov em vez de Paulo Sousa, e Isaías a dividir titularidade com Pacheco; na linha avançada, Magnusson ou César Brito, com Iuran.

Em Portugal os resultados não foram os melhores, mas a nível europeu, o Benfica eliminou o Arsenal, em Londres por 3-1 num dos melhores jogos da história do “glorioso”.

Mas a continuidade de Eriksson nos comandos do clube da Luz não estavam garantidos e o sueco, consciente das dificuldades em vencer um campeonato em Portugal, partiu novamente para Itália. Treinou a Sampdória UC e a SS Lázio.

Após quatro épocas no clube de Roma, saiu para passar a comandar a selecção inglesa. Era então, a concretização de um sonho, para o técnico sueco, que nunca escondeu a sua admiração pelo futebol inglês. Eriksson ficou então na história do clube da Luz, por ter sido o «revolucionário» do futebol benfiquista. O sueco fez a passagem da crise para a Europa e é ainda hoje, um profissional honesto, com grande capacidade de trabalho e análise dos esquemas e desenvolvimentos tácticos.
Em suma, Sven-Goran Erikson, durante cinco épocas no Benfica, alcançou três títulos nacionais, uma Taça de Portugal e uma Supertaça. Esteve no clube da Luz em períodos distintos, a primeira passagem no início da década de 80 e a segunda no fim da mesma e princípio da década de 90.

Eriksson foi sempre admirado pelos benfiquistas No Benfica, o sueco orientou a equipa de futebol em 301 jogos, alcançando 204 vitórias e 56 empates, marcando-se 700 golos para 205 golos sofridos. Recentemente o seu nome voltou a ser dado como possível sucessor de Jesualdo Ferreira, mas um novo regresso à Luz ficou adiado.


Eriksson mostrou-se satisfeito pelo possível, interesse dos «encarnados» mas o facto de ser seleccionador de Inglaterra afastou o seu regresso a uma casa que bem conhece. Os adeptos gostam de Eriksson e o sueco gosta do Benfica. Sem dúvida que marcou uma parte da história deste “glorioso” clube. Obrigado Eriksson!

Texto: Rafael Santos / «O Benfica» / «Livro de Ouro», DN, Sport Lisboa e Benfica





Sem comentários: